SUICÍDIO. A EPIDEMIA DO DESESPERO